Subcribe

Três cidades perfeitas para descobrir os segredos reais mágicos

O poder soberano das famílias reais europeias pode ser coisa do passado mas, no século 21, membros da realeza moderna continuam a enfeitiçar os viajantes.

Explore as ruas de Copenhague e todo o legado da realeza no país ganhará vida.
A família real dinamarquesa é a mais antiga da Europa. Acompanhar sua trajetória oferece uma forma divertida de aproveitar a descontraída cidade de Copenhague. Um bom lugar para começar o tour real é o Palácio Christiansburg, apelidado carinhosamente pelos anfitriões do Estado de “Queen Daisy”. Pinturas no palácio revelam como os membros da realeza dinamarquesa constituem uma parte intrínseca da monarquia da Europa. De volta ao circuito turístico, a bordo de uma barca de vidro, pode-se ver a fachada de granito preto da Biblioteca Real e o Royal Playhouse, que na noite de sua inauguração, foi palco de Hamlet, o mais famoso príncipe da Dinamarca. Outro momento imperdível é a troca da guarda na praça pavimentada que fica na área externa do elegante Palácio de Amalienborg, residência da família real dinamarquesa. Finalmente, não perca as torres altas e as pedras vermelhas do Castelo de Rosenborg, que abrigam as coleções reais e as joias da Coroa.

As monarquias espanholas sempre deixaram sua marca em Madrid.
Madrid é uma mistura de riquezas culturais. O famoso Centro de Artes Reina Sofia, antigo hospital fundado pelo rei Filipe II, abriga a famosa pintura Guernica, de Picasso, as incríveis coleções de Dali e Miró, obras e exposições de arte contemporânea que são trocadas a cada três meses. No Museu do Prado, a rica história da Espanha é revelada em mais de 1300 das maiores obras de arte do planeta, incluindo inúmeros retratos da realeza e famosas pinturas de Goya, Hieronymus Bosch, Rubens, Velazquez ou El Greco.

Christiansborg Palace abriga três braços do governo da Dinamarca em um mesmo edifício, que é único no mundo

Não muito longe do Prado está o relaxante Parque Retiro, antiga área de caça real que hoje é ocupado por um elegante jardim de inspiração francesa, decorado com filas intermináveis de monarcas esculpidos em pedra por artistas do século 18. O Palácio Real é a residência oficial da família real espanhola e ainda oferece um cenário incrível para eventos históricos. Do outro lado do Plaza de Oriente e da estátua do rei Felipe IV está o antigo quartel militar e armazém de pólvora, atualmente conhecido como Teatro Real. Foi concluído em 1850 e sua inauguração contou com a presença da Rainha Isabel II, fã de ópera. A Plaza Mayor, construída pelo rei Filipe II, é o local perfeito para apreciar uma cerveja bem gelada mas, no passado, também foi o ponto principal para celebrações, mercados, touradas, coroações e ocasionais execuções lideradas pela Inquisição espanhola.

A mágica real continua encantando os visitantes da capital do Reino Unido.
Quando o príncipe William virou-se para sua esposa na varanda do Palácio de Buckingham, em2011, e disse “Eu te amo”, foi como um emocionante “felizes para sempre” ao fim de um romance real que cativou o mundo inteiro. Hoje, são centenas de visitantes que se aglomeram diante dos portões dourados do Palácio de Buckingham para fotografar a varanda, que foi palco de um famoso beijo real em 1981, quando uma tímida professora de 19 anos, Lady Diana Spencer, e seu marido, o príncipe Charles, de 32 anos, uniram-se em matrimônio.

A Família Real na Grã-Bretanha é uma instituição respeitada e muito amada

A estátua gigante da Rainha Victoria mostra a rota que o feliz casal seguiu, a bordo da Aston Martin vintage do Príncipe Charles, desde a recepção de casamento no Palácio de Buckingham até a residência real de Clarence House. Na esquina da Clarence House estão as torres de tijolos do século 16 do Palácio de St. James, construídas por Henrique VIII. Fechado ao público, o edifício é usado para negócios oficiais da realeza. Perto de St. James estão os casacos reais, acima de lojas selecionadas em ruas como St. James, Piccadilly, Jermyn Street ou Pall Mall, denotando que são fornecedores oficiais da Família Real. Depois de uma tarde intensa observando vitrines, é hora de chá quente e biscoitos frescos no Ritz. Com o seu interior inspirado em Luís XVI, o hotel tem desempenhado regularmente a função de ponto de romance real.

O que considerar antes de viajar

load more

Dicas para considerar enquanto viaja

Turismo com bom gosto

Se você gosta tanto de cozinhar quanto gosta de viajar, por que não combinar essas duas paixões e embarcar na mais nova viagem gustativa? Com o turismo gastronômico em alta, os viajantes do mundo todo conseguem ter uma perspectiva única quanto à culinária nativa do país, e como ela é preparada enquanto vivencia a cultura local, belas vistas e atrações. Experimente fazer uma aula de culinária na Europa e aprenda os segredos culinários dos chefs mundialmente renomados em alguns dos cenários mais espetaculares do continente. Aprenda a fazer paella em Valência, como se produz queijo no Sul da França, ou sobre abater um leitão no interior inglês.

Destinos pouco conhecidos estão sendo descobertos

O Vale de Kaunertal, na Áustria, é uma terra de permanentes contrastes que refletem a mudança de estações. A panorâmica estrada Kaunertal Glacier é entrelaçada entre as florestas cobertas de neve e termina no gelo eterno. Sua vegetação exuberante, riachos e pastagens de cheiro agradável são acessíveis a pessoas com mobilidade reduzida. Esse é um dos motivos pelos quais o Vale de Kaunertal foi vencedor do prêmio EDEN na Áustria. O tema foi turismo acessível.

Pegue ondas, sol e praia

Procurar pela praia perfeita pode ser uma tarefa difícil, principalmente em uma área que não é de seu conhecimento. No entanto, na Europa você saberá que encontrou a melhor praia e o lugar ideal para surfar graças a um marcador icônico: uma bandeira azul. As Praias com Bandeira Azul (Blue Flag) da Europa atendem estritamente às normas de qualidade da água, de segurança e de ecologia, tornando-as o local ideal para tomar banho de sol, nadar e brincar. Para a sorte dos viajantes, existem mais de 4 mil praias no mundo que conseguiram o marcador e a Europa tem a maioria deles.